domingo, 14 de maio de 2017

Feliz Dia das Mães

      Este ano fizemos diferente. 
      Ao invés de uma, duas mensagens pelo Dia das Mães. 
      Parabéns a todas as trabalhadoras, que muitas vezes cumprem jornada dupla ou tripla, como estudantes e também em casa.


Rotulagem é campeã do Torneio promovido pelo STIA em homenagem aos trabalhadores













      Doze equipes participaram neste dia 13 do Torneio de Futsal em homenagem ao Dia do Trabalhador. A realização foi do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé e Região. O objetivo foi marcar o Dia do Trabalhador por meio de uma competição que promovesse a integração entre os empregados do setor, dentro da confraternização esportiva.
      Ao final da disputa, a equipe da Rotulagem (Pampeano Alimentos) sagrou-se campeã ao vencer a Limpeza, também do Pampeano Alimentos, na final. O terceiro lugar ficou com o Tendal (1º turno), também do Pampeano. 
      Nas premiações por destaque, o Tendal 1º Turno faturou o troféu Disciplina. O goleiro menos vazado foi William, também do Tendal 1º Turno. O goleador do torneio foi Bibi, da Rotulagem. 

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Sindicatos e Marfrig chegam a acordo para reajuste linear de 6,48% e manutenção de cláusulas consideradas conquistas históricas




Depois de três meses de espera e após uma reunião com quase cinco horas de duração, representantes dos sindicatos de trabalhadores nas indústrias de alimentação de Bagé, Alegrete, Pelotas e São Gabriel e o do Marfrig chegaram à definição do Acordo Coletivo de Trabalho para 2017. Haverá um reajuste linear (para todos os trabalhadores) de 6,48%. Isso significa o mesmo percentual de reajuste do Piso Mínimo Regional de salários no Rio Grande do Sul e um aumento real de 1,05% em relação à inflação do período (que entre fevereiro de 2016 a janeiro de 2017 foi de 5,43%).  O Visa-vale para os trabalhadores do Marfrig ficou definido em R$ 208,00 (era R$ 195,00), o que significa também um aumento real – o percentual de reajuste é de 6,67%.
O grande avanço, contudo, é a manutenção das demais cláusulas do acordo coletivo anterior. As exigências do Marfrig eram a redução de itens considerados conquista histórica dos trabalhadores. Com isso os trabalhadores continuarão a receber as horas-extras pagas em 100% (o Marfrig queria a redução para 50%), os 30 minutos para troca de uniforme (a empresa queria reduzir para 15 minutos), o pagamento da insalubridade, o transporte gratuito (que a indústria queria cobrar do trabalhador) e o adicional noturno na íntegra, entre outros. 
“Graças à união dos trabalhadores, que estiveram conosco em todos os momentos, é  que o sindicato teve força para conseguir barrar a vontade da empresa em retirar essas cláusulas históricas do acordo, algumas com quase duas décadas em vigência”, ressalta o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé e Região, Luiz Carlos Cabral. “Podemos dizer que na atual conjuntura econômica do país fizemos um bom acordo. Tivemos aumento real em um período onde a classe trabalhadora passa pela ameaça de retirada de direitos, enquanto outros trabalhadores de diferentes setores da economia, infelizmente, não conseguiram acordos parecidos”, reforça Cabral.
O presidente enfatiza a importância da persistência do sindicato, já que os trabalhadores do Pampeano Alimentos terão o mesmo reajuste e a manutenção de suas cláusulas, assim como os empregados do Marfrig/Bagé. “Os trabalhadores nas indústrias de alimentação são sacrificados, em muitos casos trabalham mais de 12 horas por dia em ambientes perigosos e insalubres”, avalia. O líder sindical pondera que a situação das mulheres no ambiente da planta frigorífica é ainda pior. “Elas sofrem discriminação nos salários e a atividade delas requer uma resistência física muito grande para ficar de pé à beira de uma mesa durante várias horas por dia. Elas também são profissionais de faca e ganham menos que os faqueiros, principalmente na desossa”, pondera Cabral. 
O presidente destaca que as diferenças salariais retroativas aos meses de fevereiro, março e abril (já que a data-base da categoria é 1º de fevereiro) serão pagas na folha de maio.


Assembleia define pauta de reivindicações da campanha salarial 2017 para trabalhadores de padarias, engenhos, laticínios, pequenos frigoríficos e outros



Em assembleia realizada no último dia 6, trabalhadores de padarias, engenhos, indústrias de laticínios, pequenos frigoríficos e outros aprovaram a pauta de reivindicações apresentada pela diretoria do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé e Região para a campanha salarial 2017. A data-base da categoria é 1º de junho. O pedido é por um reajuste salarial que contemple a inflação do período mais 3% de aumento real, além de um Piso Salarial para a categotia no valor de R$ 1.500,00, entre outros. Os trabalhadores também querem a manutenção das demais cláusulas do acordo anterior.
“Agora vamos encaminhar a pauta para o sindicato patronal e aguardar a definição de uma data para o nosso primeiro encontro de negociação”, frisa o presidente do STIA/Bagé, Luiz Carlos Cabral. 

terça-feira, 9 de maio de 2017

Prazo para inscrição de equipes para torneio de futsal do Dia do Trabalhador promovido pelo STIA/Bagé termina dia 11



      No próximo dia 13 o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé e Região (STIA) vai realizar um torneio de futsal aberto aos associados para marcar o Dia do Trabalhador. As inscrições encerram-se nesta quinta-feira, 11 de maio. A programação vai ocorrer no ginásio Zicão, na Avenida São Judas Tadeu, 853.
      As inscrições  podem ser feitas com os representantes sindicais no Marfrig Bagé (com Moisés) e no Pampeano Alimentos (com Eduardo). As demais empresas podem inscrever suas equipes na sede social do Sindicato (Rua Melanie Granier, 157) até as 17 horas. As empresas de menor porte podem fazer fusão entre elas para montar uma equipe e participar do torneio. 
      Haverá premiação para os três primeiros colocados, além de goleador e goleiro menos vazado, além do troféu Disciplina. Vale lembrar que somente podem participar do torneio atletas que sejam associados ao Sindicato. Em 2016 a competição de futsal homenageou o ex-presidente Delmar Fagundes Dias (Zicão), que dá nome ao ginásio do Sindicato. 

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Marfrig chama sindicatos para nova rodada de negociações neste dia 9 em Porto Alegre


      Embora tendo ajuizado ação de dissídio coletivo de greve junto ao Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, o Marfrig contatou os representantes de sindicatos de trabalhadores nas indústrias de alimentação que participam da negociação para um novo encontro. A reunião entre as partes será na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins - Sul (CNTA-Sul) às 14h deste dia 9 de maio (terça-feira), em Porto Alegre. 
      A direção do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé e Região estará presente, bem como lideranças sindicais de Alegrete, Pelotas e São Gabriel. "Os trabalhadores estão na expectativa, já que há 15 meses estão sem reajuste dos seus salários. Embora saibamos do pedido de dissídio ajuizado pelo Marfrig, seguimos dispostos a negociar", ressalta o presidente do STIA/Bagé, Luiz Carlos Cabral. 

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Marfrig ajuíza Dissídio Coletivo no TRT em Porto Alegre para tentar retirar direitos dos trabalhadores

Depois de reunião realizada em Bagé no dia 30 de março, empresa pediu prorrogação de prazos para responder proposta dos sindicatos, mas não deu retorno


      Com data-base em 1º de fevereiro, os trabalhadores do Marfrig Group em Bagé e do Marfrig Foods (Pampeano Alimentos) em Hulha Negra aguardavam o desfecho das negociações para Acordo Coletivo de Trabalho com a empresa. Entretanto, nesta semana o Marfrig ajuizou pedido de Dissídio Coletivo junto ao Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região em Porto Alegre. É o terceiro ano consecutivo em que os representantes da empresa demoram para realizar as negociações com os sindicatos de trabalhadores nas indústrias de alimentação de Alegrete, Bagé, São Gabriel e Pelotas. Desta vez, o objetivo é retirar algumas conquistas históricas dos trabalhadores que fazem parte das cláusulas do acordo - como o pagamento de 100% das horas-extras, o pagamento do tempo de preparo e a gratuidade do transporte.
      A espera por uma definição já dura três meses. A empresa demonstra intransigência com os direitos já conquistados pelos trabalhadores e agora, com o ajuizamento, tenta colocar ao TRT a responsabilidade de retirar as conquistas. "A verdade é que o Marfrig demora, faz várias alegações, muitas vezes obrigando os representantes sindicais a irem a Porto Alegre, gerando custos, e sequer apresentando uma proposta que vá ao encontro dos anseios dos empregados", ressalta o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé, Luiz Carlos Cabral. 
      Os sindicatos querem, no mínimo, o mesmo percentual de reajuste do Piso Mínimo Regional (6,48%) de forma linear, melhorias no cartão-alimentação (no caso do Marfrig/Bagé) e a manutenção das demais cláusulas do dissídio anterior. A expectativa agora é pela definição de uma data para a audiência conciliatória entre as partes, mediada pelo TRT. O dia ainda não está definido.