domingo, 22 de janeiro de 2017

Sindicatos filiados à CNTA definem planejamento da Campanha Salarial 2017

 




      No último dia 19 ocorreu a primeira etapa da campanha salarial 2017 dos sindicatos gaúchos filiados à Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA). O seminário de planejamento ocorreu no auditório do Sindicato da Panificação de Porto Alegre.
    Durante o evento ocorreram debates sobre temas ligados aos trabalhadores , como a análise de conjuntura política, a cargo do presidente da Federação dos Empregrados no Comércio de Bens e Serviços do Rio Grande do Sul (Fecosul), Guiomar Vidor. A análise da conjuntura econômica também foi analisada, com abordagem pelo supervisor técnico do Departamento Intersindical de Estatística de Estudos Socioeconômicos (DIEESE - RS), Ricardo Franzoi. Houve ainda a participação do desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, Cláudio Antonio Gassou Barbosa, sobre a perspectiva na Justiça do Trabalho em caso de ajuizamento de dissídios coletivos. 
Análise
      O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé e Região participou do encontro. Estiveram no seminário o vice-presidente Cláudio Gomes Gonçalves, além dos diretores Moisés Navarrina Gomes, Alceu Beroni de Oliveira e Eduardo Abs da Cruz Netto Costa.
      Gonçalves destaca que o momento do país é tenso para os trabalhadores. Com o impeachment da presidente Dilma Roussef houve uma ruptura constitucional sem precedentes, com um movimento articulado para enfraquecer os trabalhadores e os sindicatos.    
      "Um ponto comum nas explanações está relacionado com os projetos que estão tramitando no congresso que visam tirar direitos dos trabalhadores, como as proposta da Reforma da Previdência, Mudanças na Jornada de Trabalho, Terceirização e outros, que irão mexer com as conquistas históricas da classe trabalhadora", ressalta o vice-presidente do STIA/Bagé.
Lançamento
      Os representantes sindicais discutiram ainda os eixos da campanha salarial 2017, além de analisar o material para a campanha deste ano. O lançamento da Campanha Salarial será no dia 25 de março, em Bom Retiro do Sul por ocasião do Torneio Integração dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação, dos sindicatos filiados a CNTA. O Torneio Integração, que reúne diferentes modalidades - entre elas Futebol Sete, Futsal, Rústica, entre outros - será organizado em 2017 pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Estrela. 

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Representantes do STIA/Bagé participam do Seminário de Planejamento da Campanha Salarial 2017 em Porto Alegre



      Nestes dias 18 e 19 de janeiro o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé e Região (STIA) participa do Seminário de Planejamento da Campanha Salarial 2017, realizado pela Sala de Apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins - Sul (CNTA-Sul) em Porto Alegre. O encontro reúne representantes de sindicatos de Alegrete, Bagé, Estrela, São Gabriel, Camaquã, Passo Fundo, Pelotas e Ijuí, além da panificação de Porto Alegre - que irá sediar o seminário. 
      Participam do evento pelo STIA/Bagé o vice-presidente, Cláudio Gomes Gonçalves, além dos diretores Eduardo Abs da Cruz Netto Costa, Alceu Beroni de Oliveira e Moisés Navarrina Gomes. O seminário tem objetivo de definir as estratégias de atuação dos sindicatos para a campanha salarial deste ano, além de debater temas de preocupação para a catagoria.
      Entre os temas do encontro está o debate sobre análise de conjuntura política atual, com o presidente da Federação dos Empregrados no Comércio de Bens e Serviços do Rio Grande do Sul (Fecosul), Guiomar Vidor. A análise da conjunta econômica do país será explanada pelo supervisor técnico do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no Rio Grande do Sul, Ricardo Franzoi. Os representantes sindicais de Bagé também participam do debate sobre Perspectiva na Justiça do trabalho em caso de ajuizamento de Dissídio Coletivo, com a participação do desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Cláudio Antônio Cassou Barbosa.

sábado, 31 de dezembro de 2016

STIA/Bagé encaminha petição ao Marfrig com reivindicações da campanha salarial 2016/2017

Cabral encaminhou o ofício e sindicato aguarda direção da empresa marcar data de início das negociações

      Na última semana o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé e Região, Luiz Carlos Cabral, encaminhou à gerente de Recursos Humanos do Marfrig Group, Tânia Maria Silva Camejo, as petições das reivindicações da categoria visando a acordo coletivo de trabalho. A pauta foi estabelecida em assembleias realizadas dias 3 e 10 de dezembro em Hulha Negra e Bagé, respectivamente.
      No documento, Cabral solicita que seja marcada uma data para o início das reuniões de negociação. A data-base para os trabalhadores do Marfrig é 1º de fevereiro.
      Entre as propostas estabelecidas pelos trabalhadores em assembleia estão 
reajuste de 100% do INPC + 3% de aumento real, piso salarial de R$ 1.400,00, a jornada de trabalho de segunda-feira a sexta-feira, entre outros itens.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

PROTESTO CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL.

Fato que aconteceu hoje (16) na Praça Silveira Martins, onde os sindicatos e trabalhadores manifestaram contrariedade e indignação com a proposta de reforma da Previdência Social em discussão no Congresso. Se aprovada será o maior retrocesso da história contra a Classe Trabalhadora, que irá acabar com os direitos dos trabalhadores conquistados através dos anos com muita "Luta".






O Governo Temer e seus aliados com esta proposta, querem fazer o enxugamento e reduzir gastos em cima dos trabalhadores e isto não aceitamos e repudiamos.
Com aprovação da PEC 55 e 287 todos os trabalhadores seja ele Rural ou Urbano serão afetados com estas medidas. Por isto teremos que unir forças e nos mobilizar ainda mais com contra estes desmandos do governo Temer.
Esta Luta é de todos nós: Trabalhadores, Sindicatos e a Sociedade em Geral.

sábado, 10 de dezembro de 2016

Trabalhadores do Marfrig em Bagé definem propostas da Campanha Salarial 2017






             No último dia 10, os trabalhadores do Marfrig Bagé participaram das assembleias para estabelecer a pauta de negociações da campanha salarial 2017. A data-base dos trabalhadores das duas plantas frigoríficas é 1º de fevereiro. A primeira assembleia fora realizada no último dia 3 com trabalhadores do Pampeano Alimentos, nas dependências da nova subsede do Sindicato em Hulha Negra. 
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé e Região, Luiz Carlos Cabral, explicou aos trabalhadores vários itens da pauta de reivindicações. O líder sindical explanou sobre conquistas importantes obtidas pelos trabalhadores nos últimos anos e que estão em vigor por força de acordo coletivo, embora não previstos na legislação. "Nada do que conquistamos é de graça, vem da luta de vocês que estão aqui e trazem suas reivindicações para o Sindicato, que vai para a mesa de negociação buscar o que for melhor para a categoria", ressaltou Cabral.
Para 2017 os trabalhadores do Marfrig trabalham com uma pauta unificada geral, mas com situações específicas de acordo com as realidades encontradas pelos empregados nas plantas frigoríficas. Em breve, a pauta reivindicatória será encaminhada oficialmente à empresa para que seja agendada uma data com a direção do Marfrig, visando a primeira reunião de negociação entre as partes.
      Na oportunidade, o presidente ainda manifestou aos trabalhadores a preocupação com diretrizes do governo federal, como as propostas das reformas Trabalhista e da Previdência. "Estamos na corda bamba, com um Congresso Nacional que visa à derrubada de direitos históricos dos trabalhadores. Precisamos da mobilização de todos", reforçou o líder sindical. Cabral também explanou sobre a atuação do Departamento Jurídico do Sindicato para buscar direitos dos trabalhadores junto ao Judiciário, tanto em Porto Alegre (segunda instância) como em Brasília (em última instância). 
Principais itens da pauta
Entre as cláusulas pré-existentes e as cláusulas novas, estão às seguintes reivindicações, aprovadas por unanimidade:
- Reajuste de 100% do INPC + 3% de aumento real
- Piso salarial de R$ 1.400,00,
- Adicional de faca de 10% (Marfrig. Bagé)
- Adicional por tempo de serviço (qüinqüênio) de 4%.
- Horas extras 100% desde há primeira hora. (hoje as duas primeiras são pagas com 50% as demais 100%.
- Trabalhos em domingos, feriados e dias compensados, pagos com 150% sobre a hora normal, hoje e pago com 100%.
- Aumento do auxílio creche para 36 meses (hoje é de 24 meses, com um valor de 20% sobre o Salário Normativo)
- Aumento do tempo da estabilidade pré-aposentadoria (que hoje é de 12 meses antecedentes à aposentadoria, garantindo estabilidade ao trabalhador) passe para 24 meses, entre outros pedidos. Obs: No Marfrig. Bagé no Pampeano já e 24 meses.
- Piso Salarial dos Profissionais em 70% sobre o Piso Salarial da Categoria (PSC).
- Pagamento de cinco dias como horas extras nos meses com 31 dias;
- Redução da jornada de trabalho de 44 horas semanais para 40 horas semanais.
- Adicional sobre funções diversas de 50% sobre o Piso Salarial da Categoria (PSC).
- Jornada de trabalho de segunda a sexta-feira.
- Manutenção das demais clausulas.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Trabalhadores do Marfrig/Bagé debatem pauta da campanha salarial 2017 em assembleia no próximo dia 10



      Depois da realização da primeira assembleia para estabelecer a pauta de negociações da campanha salarial para os trabalhadores do Pampeano Alimentos em Hulha Negra, no último dia 3, agora é a vez dos empregados do Marfrig Bagé debaterem as cláusulas que serão apresentadas à empresa. A assembleia está marcada para o próximo dia 10 (sábado), às 18 horas, na sede do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bagé e Região (Rua Melanie Granier, 157). A data-base dos trabalhadores do Marfrig/Bagé e Pampeano/Hulha Negra é 1º de fevereiro.
      O presidente do Sindicato, Luiz Carlos Cabral, lembra que os acordos com o Marfrig nos últimos anos têm sido marcados pela dificuldade, o que traz maior importância à mobilização do sindicato e dos trabalhadores. "Precisamos, acima de tudo, da participação de todos para que possamos definir a pauta de negociações com a classe patronal”, ressalta o líder sindical. 
      Temas como as reformas trabalhista  e previdenciária também devem entrar em discussão. “O período é difícil, já que o governo tenta retirar direitos históricos dos trabalhadores. Precisamos demonstrar força para mantermos nossas conquistas”, ressalta Cabral. 

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Marfrig não resgatará debêntures conversíveis do BNDES, garante Molina


      O presidente do conselho de administração e fundador da Marfrig Global Foods, Marcos Molina, assegurou hoje a analistas que a companhia não recomprará as debêntures obrigatoriamente conversíveis em ações detidas pelo braço de participações
      Com isso, os papéis serão “integralmente” convertidos em ações em 25 de janeiro de 2017, afirmou Molina. A conversão fará do BNDES o maior acionista da Marfrig, com pouco mais de 30% do capital da empresa. Atualmente, a BNDEPar detém 19,6% de participação na Marfrig. Molina e sua esposa possuem outros 34,03%.
      As declarações do empresário repercutiram bem no mercado. Às 12h, as ações da Marfrig subiam 10,46%, negociadas a R$ 5,80 Trata-se da maior alta entre os papéis que compõem o Ibovespa. O resgate das debêntures era visto negativamente por analistas de mercado porque aumentaria o endividamento da companhia para manter Molina como principal acionista
      Em agosto, o Marfrig negociava com o banco estatal o resgate das debêntures, mas não havia uma proposta formal. Se fizesse o resgate — ainda que parcial — das debêntures detidas pelo BNDES, Molina permaneceria como o principal acionista. A BNDESPar, por outro lado, evitaria uma troca desvantajosa de papéis. O preço de conversão das debêntures é de R$ 21,50, e as ações da Marfrig oscilam em torno de R$ 5,20.
      Em teleconferência na manhã de hoje, Molina afirmou que, com a conversão das debêntures e o consequente aumento de participação da BNDESPar, o banco terá direito a mais um assento no conselho de administração. Atualmente, a BNDESPar só indica um conselheiro.
      Além disso, o presidente da empresa enfatizou que a BNDESPar não poderá ter a maioria do conselho de administração. “A participação acionária detida pelo BNDES possui caráter minoritário de longo prazo e sem atuação executiva”, afirmou Molina.
      Com o vencimento das debêntures, a Marfrig pagará a última parcela anual de juros ao BNDES em janeiro de 2017. Segundo o vice-presidente de finanças e relações com investidores da Marfrig, Eduardo Miron, aproximadamente R$ 350 milhões serão pagos em janeiro. A partir de então, a Marfrig estará livre de uma das maiores contas de juros. Na avaliação do BTG Pactual, a conversão das debêntures do BNDES em ações pode ser um “catalizador” para melhorar o fluxo de caixa livre e reduzir o índice de alavancagem da Marfrig.

Fonte: Jornal Valor Econômico - 16/11/2016
Matéria de Luiz Henrique Mendes